A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional

Mara Gomez se tornou a primeira mulher transexual a jogar futebol profissional na Argentina depois de fazer sua estreia em Villa San Carlos.

Abertura de novos caminhos

A AFA confirmou no mês passado que Gomez estava inscrita para jogar uma partida da primeira divisão feminina contra o Lanus.

A TNT Sports LA postou destaques e depois de receber a camisa número sete esta semana, Gomez começou na frente.

A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional
Foto:(reprodução/internet)

Não foi uma estreia dos sonhos, já que seu time, Villa San Carlos, perdeu o jogo por 7-1. No entanto, Gomez ficou emocionada nas entrevistas pós-jogo e disse que ‘novos caminhos’ foram abertos para os jogadores.

Consciência de sua representatividade

A jogadora de 23 anos disse à ESPN: “Quando comecei, o futebol era uma terapia para mim e não conseguia pensar que era possível sonhar ou pensar em jogar na primeira divisão”.

“Há alguns anos era impensável falar ou debater sobre isso, mas agora estamos abrindo novos caminhos. É uma grande conquista. Estou totalmente grata ao meu clube, às minhas companheiras e à comissão técnica por abrirem as portas para mim e para me mostrando respeito desde o início”.

A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional
Foto:(reprodução/internet)
A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional
Foto:(reprodução/internet)

“Tenho orgulho de representar uma comunidade, mas também uma parte da sociedade e de saber que me tornei uma referência para muitas pessoas”.

Os oponentes Lanus a presentearam com uma camisa especial após a partida e comentaram: “Celebramos e acompanhamos este enorme passo no caminho para expandir os direitos. Parabéns Mara Gomez”.

Leia também: Modelo tem o ‘emprego mais legal’ viajando o mundo com um milionário

Uma vida a beira da morte

Foi uma longa espera para Gomez, que assinou seu contrato profissional antes da pandemia do coronavírus.

Ela fez mais um depoimento no Instagram, dizendo: “Não foi mágica, não foi um presente, não foi fácil. Foi uma vida de lutas, sofrimento e tristeza”.

A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional
Foto:(reprodução/internet)

“Havia uma vida à beira da morte e um coração partido. Muitos obstáculos tiveram que ser superados para reverter o passado … Isso apenas começou. Hoje eu respiro, hoje minha alma retorna ao meu corpo”.

O futebol salvou sua vida

Ela acrescentou que o futebol conseguiu ‘salvá-la’ quando sua saúde mental cobrou seu preço, devido à ‘discriminação e exclusão’.

A primeira mulher transgênero a jogar futebol profissional
Foto:(reprodução/internet)

“O futebol surgiu na minha vida em um momento em que eu precisava. Ele surgiu em um momento em que eu estava lutando psicologicamente por causa da discriminação, da exclusão, e eu o vi como uma terapia. Percebi que o futebol poderia ser um estilo de vida para mim”.

Gomez estava jogando na Liga de Futebol Platense pelo Las Malvinas, antes que a AFA estivesse satisfeita que ela tinha níveis aceitáveis ​​de testosterona no sangue.

Traduzido e adaptado por equipe Jovem Online
Fonte: Ladbible