Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina

Uma menina de 12 anos teve seu direito legal ao aborto negado na Argentina e foi forçada a dar à luz gêmeos.

Menina é obrigada a realizar parto

A menina argentina é vítima de estupro e engravidou em consequência do sexo não consensual.

O aborto é ilegal no país devotamente católico; entretanto, há uma cláusula que permite o procedimento em casos de estupro ou se a gravidez ameaçar a vida da mãe.

Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina
Foto:(reprodução/internet)

Apesar de a menina se enquadrar nos critérios para um aborto, ela teve seu acesso negado e foi forçada a dar à luz dois bebês por cesariana no Hospital Infantil Dr. Hector Quintana.

Acompanhamento da Ouvidoria da Criança

A menina de 12 anos foi instruída a esperar até que os gêmeos “atingissem um certo nível de maturidade” antes de ser autorizada a fazer a cesariana em 29 de novembro, segundo a News Corp.

Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina
Foto:(reprodução/internet)
Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina
Foto:(reprodução/internet)

A Rede de Profissionais de Saúde pelo Direito de Decidir divulgou um comunicado dizendo que a menina agora foi colocada sob os cuidados da Ouvidoria da Criança devido à ‘situação legal’ de seus pais.

O estado de saúde dos bebês gêmeos ainda não está claro.

Leia também: Papa Francisco diz que as crianças LGBT devem ser ‘amadas do jeito que são’

350 mil abortos ilegais por ano

Quase 700 partos de mães menores de idade já aconteceram na província de onde vive a menina de 12 anos, só neste ano.

Autoridades de saúde argentinas dizem que há cerca de 350.000 abortos ilegais realizados no país todos os anos.

Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina
Foto:(reprodução/internet)

A Argentina tentou introduzir novas leis que permitiriam o aborto até a 14ª semana de gravidez, mas esse prazo seria estendido se a mulher fosse estuprada ou corresse o risco de ser estuprada.

Papa dispara duras críticas

No entanto, houve protestos em massa contra a medida. É a nona vez que o governo argentino tenta fornecer acesso ao aborto para pessoas em extrema necessidade.

A medida que foi introduzida em novembro foi condenada pelo Papa Francisco, que é argentino.

Criança vítima de estupro da a luz à gêmeos na Argentina
Foto:(reprodução/internet)

O pontífice disse que o projeto era semelhante a “contratar um assassino para resolver um problema” e elogiou os manifestantes por fazerem suas vozes serem ouvidas.

Traduzido e adaptado por equipe Jovem Online
Fonte: Ladbible