Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado

Os patrulheiros da vida selvagem no Alasca tiveram que matar um alce que se tornou confortável demais com as pessoas depois que uma mulher postou um vídeo ao vivo no Facebook que se mostrava alimentando e acariciando o animal.

Alce estava acostumando com as pessoas

Os policiais do Alasca disseram que o jovem alce se acostumou com as pessoas depois do incidente, o que significa que ele representa um risco para a segurança pública.

O vídeo foi postado no sábado (30 de janeiro) por uma mulher chamada Angel Bunch, 43 anos.

Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado
Foto:(reprodução/internet)

A filmagem, que foi compartilhada publicamente, foi enviada para o despacho da tropa do Vale Matanuska-Susitna por outro cidadão, explicou o porta-voz Austin McDaniel.

Mulher deverá pagar multa

McDaniel disse que o vídeo mostra Bunch alimentando o alce com cenouras e acariciando-o da porta de sua casa.

No entanto, o video agora parece ter sido excluído.

Bunch recebeu uma intimação de contravenção por alimentar negligentemente o animal, com sua fiança fixada em US $ 320 no Tribunal Distrital de Palmer.

Animal é abatido e sua carne é doada

O Departamento de Segurança Pública do Alasca disse: “Em 1-30-2021, o Alaska Wildlife Troopers recebeu um relatório de que um indivíduo postou vídeos ao vivo no Facebook dela alimentando com cenouras um alce que ela também estava tocando e acariciando”.

Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado
Foto:(reprodução/internet)

“Angel Bunch, de 43 anos de idade, de Palmer, foi posteriormente contatada e emitida uma intimação por alimentar negligentemente por brincadeira. A fiança foi fixada em US $ 320 no Tribunal Distrital de Palmer”.

“O alce se habituou a pessoas ao ponto de se tornar um perigo para a segurança pública, então foi abatido e sua carne doada a instituições de caridade“.

Sinais de já havia sido alimentado por humanos

Em declarações ao Anchorage Daily News, McDaniel disse: “Quando o Alaska Wildlife Troopers respondeu à residência de Bunch, o alce não demonstrou medo aparente de humanos e caminhou até o Wildlife Trooper quando ele chegou”.

“Este alce parecia magro e dava sinais de que já havia sido alimentado por humanos há algum tempo”.

Leia também: Elefante vítima de armadilha sobrevive graças a uma equipe de resgate

Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado
Foto:(reprodução/internet)

McDaniel disse que os patrulheiros determinaram que o alce pode se tornar um perigo para o público, já que ele agora se sente muito confortável perto de humanos.

Interação não sustentável

Ele acrescentou: “Quando os humanos alimentam a vida selvagem, isso os faz parar de procurar e se alimentar por conta própria na natureza e depender apenas dos humanos para se alimentar”.

“Quando sua fonte de alimento humano para, o animal pode se tornar agressivo com os outros humanos enquanto busca comida neles”.

Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado
Foto:(reprodução/internet)

Embora não tenha havido relatos de problemas com os alces na área, os soldados eventualmente decidiram matá-los para evitar um risco potencial à segurança pública, e McDaniel disse que a carne foi doada para instituições de caridade.

Cautela ao decidir por abater qualquer animal

“Os policiais tomam muito cuidado ao tomar decisões para despachar qualquer animal grande e o fazem quando se torna uma questão de segurança pública”, disse ele.

McDaniel disse que ligações sobre pessoas que alimentam negligentemente animais selvagens são bastante comuns nas áreas de Matanuska-Susitna e Anchorage, e que muitos desses encontros terminam em morte para os animais.

Alce é morto após mulher o alimentar e fazer carinho em video postado
Foto:(reprodução/internet)

De acordo com o Anchorage Daily News, intimações semelhantes foram emitidas para pessoas cujo lixo desprotegido atraiu ursos, enquanto um homem foi denunciado por alimentar um alce em sua casa em 2014.

Traduzido e adaptado por equipe Jovem Online
Fonte: Ladbible