Juiz censura e proíbe peça com transexual no papel de Jesus

Poder Judiciário na Bahia proíbe apresentação na Bahia 'sem direito a recurso'

A peça teatral 'O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu' já causou muita polêmica desde que começou a ganhar destaque na grande mídia no Brasil. De um lado, a classe artística, com a defesa da liberdade de permitir a apresentação da peça, por entenderem que (assiste que quer) e que é possível releitura de temas sem que isso cause ofensa ou deboche a determinada religião, mas apenas apresente ponto de vista ou questões para reflexões sobre o tema. A arte pode ser, até mesmo, a retratação da forma que uma pessoa vê determinada questão, sem que isto signifique 'apologia'.

Censura de volta?

Qualquer pessoa que tenha um mínimo de instrução de escrita e narrativa (escritores, jornalistas, etc), sabem a diferença entre autor, ator e narrador. O narrador da história pode ser alguém que demonstre a forma que alguém pensa, sem que isto signifique a visão do autor que escreveu ou do ator que interpreta.

Mas, se voltarmos no tempo, veremos histórias de 'senhorinhas' que batiam com sombrinha nos atores que passavam nas ruas e interpretavam vilões. Não sabiam diferenciar ficção e realidade, nem sabiam que muitas obras tinham objetivo de apresentar uma forma de pensar de certas pessoas da sociedade e, com isso, produzir reflexão.

Pois bem, se por um lado existem os que defendem, de outro, os diversos que sentem-se ofendidos com a retratação de uma figura como a de Jesus, de forma diferente e buscando outro enfoque para a 'adaptação'. Ariano Suassuna fez um 'Jesus negro' em 'Auto da Compadecida', mas os valores permaneciam, embora tivesse alterado a justificativa, com o objetivo de discutir o problema racial em nosso país, ou seja, de forma inteligente criou uma nova discussão.

Juiz proíbe peça com 'Jesus Trans' 

De qualquer forma, um juiz (Paulo Albiani Alvez) da Bahia, proibiu a apresentação da peça, que aconteceria no Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia, sob a justificativa que a peça 'debocha' e 'desmonta' a história original e ofende o livre exercício de cultos religiosos.

Segundo informações divulgadas pela Folha, o mandado foi entregue minutos antes da apresentação, o que impediu que houvesse recurso em tempo hábil, direito de defesa e de contraditório.

Artistas acreditam que muitos juízes agora assumiram o papel da ditadura, e fazer censura sem contraditório e direito de defesa, com uma simples 'canetada'.

O que você acha?
Juiz censura e proíbe peça com transexual no papel de Jesus Revisada por Nelson Gazolla em 14:27 Avaliação: 5
Todos os direitos reservados Jovem Online © 2015

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.